Cartaz_NoitesBrancas2016_Programa
IMG_1083

IMG_1223

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Realizou-se, no passado dia 16, no Largo da Senhora-a-Branca, a XIV edição do Festival Internacional de Música Polifónica “Noites Brancas”, evento que contou com a presença de quatro grupos de referência.

A noite quente que se fez sentir ajudou a que o público acorresse, em grande número, ao Largo, para assistir às atuações do Coro Juvenil de Vieira do Minho, do Orfeão de Braga, do grupo Gli Appassionati e do Coro Polifónico de S. Victor.

O Coro Juvenil de Vieira do Minho é formado por jovens vieirenses e iniciou a sua atividade em 2012, numa parceria com os Fura del Baus, a propósito das comemorações da Capital Europeia da Cultura, em Guimarães. Sob a direção de Sandra Azevedo, o coro conta com aproximadamente 30 elementos, com idades compreendidas entre os 12 e os 20 anos, sendo que 90% dos seus membros pertence à Academia de Música Valentim Moreira de Sá.

Já o Orfeão de Braga, um dos grupos residente, trouxe a este evento os clássicos populares da música portuguesa, dando destaque à polifonia. O Orfeão de Braga é o grupo musical mais antigo da cidade de Braga e, atualmente, é dirigido pelo Maestro Paulo Campos.

Os Gli Appassionati são uma formação vocal e musical oriunda de Vigo. Criados em 2012 pela mão da mezzosoprano Nuria Lorenzo, este coro de camara adapta-se, em estilo, aos eventos, encontrando repertório mais adequado. Nas “Noites Brancas da Senhora-a-Branca”, os Gli Appassionati, grupo patrocinado pelo Turismo das Rias Baixas, estiveram em S.Victor com clássicos Pop, entoando Beatles, entre outros.

A finalizar, ao palco, formado pelo escadório da Igreja da Senhora-a-Branca, subiu o Coro Polifónico de S. Victor, que apresentou peças modernas, como Coldplay, até temas mais clássicos. O Coro Polifónico de São Victor (Braga) é atualmente formado por cerca de 50 elementos de várias idades e que fazem parte dos coros que animam as Eucaristias Dominicais. Esses coros têm essencialmente uma função litúrgica, tal como animar a assembleia eucarística, iniciar e sustentar os cânticos. Os membros do coro prestam um autêntico serviço litúrgico. Nos últimos anos, o Coro da Igreja de São Victor tem alargado o seu reportório para além do domínio litúrgico, apresentando peças mais modernas. Habitualmente, nestes concertos, o Coro Polifónico de São Victor é dirigido pelo Pe. Sérgio Torres, um dos párocos de São Victor, tendo sido acompanhado, ao piano, pelo Prof. António Costa Gomes.

A cada grupo foi oferecido uma peça da “Nossa Senhora do Leite”, pela semelhança temática à Senhora-a-Branca e porque, com a sua aquisição, a Junta de Freguesia de S. Victor quis auxiliar a Cerci Braga, para quem reverte o valor da compra.

A fachada da Igreja da Senhora-a-Branca voltou a ser o cenário escolhido para este evento, que, com estas melhorias introduzidas, foi o vencedor do Galardão “A Nossa Terra”, na Categoria Evento, que este ano foi apresentado por Carina Rodrigues.

No encerramento do certame, Ricardo Silva, Presidente da Junta de Freguesia de S. Victor, reiterou a importância das “Noites Brancas da Senhora-a-Branca” no programa de atividades da Freguesia de S. Victor. “As Noites Brancas da Senhora-a-Branca” é daquelas atividades em que depositamos todas as energias, além de ser das mais aguardadas pelo público, pois motiva-nos ver o Largo da Senhora-a-Branca repleto de pessoas. A qualidade imposta por este festival é traduzida pelo número de pessoas que assiste ao espetáculo, que tem sido em número crescente de ano para ano. É um orgulho, no espetro de uma freguesia, realizar um dos momentos altos das atividades culturais da nossa cidade”.

Presente neste festival, esteve Firmino Marques, atual Vice-Presidente da Câmara Municipal de Braga, que foi o mentor desta iniciativa, a quem foi tributada uma salva de palmas por essa iniciativa.

As “Noites Brancas da Senhora-a-Branca” voltam, em 2017, para a 15ª edição, prometendo surpreendentes novidades.