O Documento foi votado em sessão ordinária da Assembleia de Freguesia, que decorreu a 27/12 e foi aprovado com 11 votos favoráveis (da Coligação JpB) e 8 abstenções (PS+CDU+BE).

O plano apresentado e aprovado vem na sequência do compromisso firmado com a população em Outubro do corrente ano, reforçando as nossas linhas de atuação, mantendo as atividades estruturantes, mas sem esquecer a vontade de ter mais capacidade de intervenção no território. Uma das lutas do atual Executivo da Freguesia tem sido a reivindicação justa de mais competências atribuídas pela CMB, para que a Junta de Freguesia possa ter a atuação determinante na respetiva área administrativa, efetuando as manutenções que a Freguesia carece e exige, seja ao nível dos equipamentos e mobiliário urbano, seja do ponto de vista dos espaços verdes ou mesmo da limpeza e higiene dos espaços públicos.

Apesar do esforço de querermos ser uma Junta de Freguesia mais moderna e empreendedora, que se torne cada vez mais próxima do cidadão, é certo que não nos queremos focar somente no plano administrativo, onde diariamente passamos uma media de uma centena de atestados.

A nossa capacidade de intervenção no território e junto da população pode ser maior, pois temos essa vontade e somos a maior autarquia do Minho, do ponto de vista populacional em freguesias, pelo que temos consciência das responsabilidades que nos são esperadas e aquelas com as quais nos podemos comprometer.

O Plano de Atividades e Orçamento para 2018 reflete, por um lado, a nossa limitação orçamental, com os compromissos salariais; por outro lado, revela alguma criatividade na forma como desenhamos as iniciativas e as colocamos ao serviço da População. Este Plano é baseado numa postura que vem de anteriores executivos, tendo ganho prémios de autarquia modelos em 2008 e 2009. Contudo, como teria forçosamente de acontecer, introduz iniciativas com cariz inovador, tal como o Executivo Júnior, atividade que colocou a Freguesia no Top9 das Freguesias mais inovadoras de Portugal, pela revista Sábado, tendo merecido menção na Revistas das Cidades Educadoras. Por outro lado, além da continua aposta nas Escolas e na Educação, vemos no Património Cultural e no consequente turismo uma aposta a galvanizar, incrementando as ações do Programa “S. Victor de Portas Abertas”. Aqui, prevêem-se novos materiais promocionais, com nova imagem gráfica, adaptados à Lingua Gestual e ao Braille. Está, também, em fase de gravação a nova temporada da webserie “S. Victor de Portas Abertas”, cuja temática revelará personalidades e estabelecimentos tradicionais da Freguesia de S. Victor.

Na área de ação social, além de continuarmos a trabalhar dentro da lógica da Comissão Social de Freguesia (uma das poucas que está em funcionamento no Concelho de Braga), manteremos o espirito colaborador com as instituições que trabalham no terreno, incrementando a sua atuação com as iniciativas do Programa “Solidariedade+”.

Assembleia de Freguesia de S. Victor aprova moção do Bloco de Esquerda em defesa da Fábrica Confiança

A Assembleia de Freguesia de S. Victor votou unanimemente a moção do Bloco de Esquerda  em defesa da Fábrica Confiança como Património Municipal para fins culturais.

No documento apresentado pela representante do Bloco de Esquerda, Catarina Afonso, pode ler-se que “a Perfumaria e Saboaria Confiança, fundada em 1894, marcou de forma incontornável a vida de milhares de famílias ao longo dos anos de funcionamento”.

“Tendo em conta que o edifício foi adquirido em 2013 pela Câmara Municipal de Braga, encontrando-se ao abandono e não havendo um plano concreto para a sua dinamização como espaço público de fins culturais, a Assembleia de Freguesia decidiu mandatar o presidente da Junta de S. Victor para interceder junto da Câmara Municipal de Braga no sentido de defender a manutenção do edifício da Fábrica Confiança como património municipal com utilização para a qual foi adquirido”, conclui o texto aprovado.