Olga Pereira, presidente da Assembleia de Freguesia de S. Victor, no cumprimento da deliberação unânime adotada na última Assembleia de Freguesia realizada em 29 de junho de 2017 e que determinou a elaboração de um documento que retratasse as diligências já desenvolvidas pela Junta de Freguesia sobre o prédio devoluto sito na Travessa Dr. Francisco Machado Owen da mesma freguesia e a sua publicitação no sítio da freguesia e nos meios de comunicação social, informa que, tendo procedido a um levantamento exaustivo sobre as mesmas, foi possível apurar que:

  1. A Junta de Freguesia de S. Victor solicitou um primeiro pedido de informação à CMB sobre o edifício da Travessa Dr. Machado Owen em 2014, tendo a Câmara Municipal esclarecido, em 14 de maio do mesmo ano, que o proprietário possuía 15 dias para repor a vedação e 30 dias para requerer licença especial para a conclusão das obras do prédio em causa.
  2. Decorridos quase dois anos, a 2 de fevereiro de 2016, a Junta de Freguesia interpelou novamente a Câmara Municipal pedindo o estado atual do processo.
  3. Em 22 de novembro de 2016, a junta de freguesia dirige-se novamente à Câmara Municipal solicitando diligências junto do proprietário do edifício para que este proceda ao rápido entaipamento das portas e das janelas impedindo, desta forma, o acesso ao interior do edifício.
  4. O proprietário foi notificado e deu cumprimento ao que lhe foi solicitado, repondo a vedação.
  5. No dia 3 de fevereiro e no dia 3 de maio de 2017, a Junta de Freguesia realizou dois novos ofícios à Câmara Municipal sobre esta matéria, reiterando a sua posição de que deve ser construída uma vedação mais sólida e encerradas as aberturas do edifício com tijolos, atento o facto de o mau tempo e atos de vandalismo terem permitido a cedência e entrada de pessoas no local.
  6. No dia 6 de junho de 2017, a Junta de freguesia solicitou à autarquia uma vez mais, a notificação do proprietário privado para entaipar as entradas e quaisquer orifícios que permitam a entrada no mesmo.
  7. A Câmara Municipal procedeu à notificação da mesma, em 29 de junho de 2017, para repor a situação.
  8. A 10 de agosto de 2017, a Câmara Municipal de Braga procedeu a nova notificação do proprietário, concedendo-lhe o prazo de 15 dias para repor as vedações, sob pena de se substituir ao mesmo nessa tarefa e proceder posteriormente à competente imputação de custos.
  9. Neste momento, aguardamos a ação relativa à última notificação.

Iguais procedimentos têm sido adotados em casos similares, como, por exemplo, o terreno da Fábrica Sarotos, que em tempos acumulava lixo e vegetação, mas que passou a ter uma entidade que utiliza o espaço para prática de desportos como airsoft. Esta utilização contribuiu para uma manutenção do espaço e promovendo segurança naquele local, não havendo registos, à data, de novas ocorrências com vegetação.

Quanto aos Bairros Sociais, quer das Enguardas, quer de Santa Tecla, são constantes as solicitações à AGERE para que haja uma profícua atuação naquelas ruas. Sempre que necessário, além da varredura, a AGERE desloca-se aos Bairros para levantamento de “monstros”, de forma a desobstruir alguns espaços nas zonas comuns. A tarefa verifica-se difícil porque há um desmesurado acumular de vários materiais e detritos, nas horas seguintes ao levantamento dos “monstros”, o que contribui para um avolumar de lixos em plena rua.

A Junta de Freguesia de S. Victor lembra que devem ser respeitados os horários de colocação de lixo nas ruas e que a AGERE detém um serviço gratuito de recolha de monstros, que funciona de 2ª a 5ª, bastando ligar para esta empresa municipal para marcar a recolha.

Assim, pensamos que estas informações podem ser úteis para esclarecer as atuações da Junta de Freguesia de S. Victor relativamente aos casos abordados, dando cumprimento a uma recomendação da CEM, aprovada na última Assembleia de Freguesia.

Descarregue aqui o ficheiro pdf: Comunicado AF_set2017

Exposição “Sete Fontes”

O Complexo monumental das Sete Fontes é o tema da exposição fotográfica de Flávio Freitas, que pode ser vista entre os dias 5 de Setembro e 12 de Outubro, na Junta de Freguesia de S. Victor.

Flávio Freitas foi desafiado a contribuir com o seu olhar sagaz a aliar a arte da fotografia à responsabilidade de inventariar o Complexo das Sete Fontes. Assim, brasões, canalizações, bacias de decantação, entre outros importantes equipamentos e ornamentos, ficam perpetuados para todo o sempre , num registo educativo e convidativo para quem não conhece as Sete Fontes.

A não perder, no Espaço Galeria da Junta de Freguesia de S. Victor.

Há Festa no Bairro de Santa Tecla

“Há Festa no Bairro” que dá muita alegria e música a Santa Tecla.

Este local tão especial da nossa Freguesia acolhe a actuação do Grupo de Cavaquinhos da Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro, que encanta e anima o público.

Como é bom poder usufruir de momentos da nossa música e da nossa etnografia, numa noite tão agradável e à beira rio.

O Polidesportivo da Rua de Baixo vive momentos de animação com a Associação Grupo Folclórico de Lamaçães, que dança de forma entusiasmada e alegra as nossas gentes.

Intervenção EB1 S. Victor

É nosso desejo que as Escolas de S. Victor tenham as melhores condições para proporcionar um excelente ano lectivo aos alunos.

Visitámos hoje, dia 10/08, juntamente com a Sr.ª Vereadora da Educação da CMB, as obras que estão a decorrer na EB1 S. Victor, com intuito de aferir o andamento das mesmas e perceber se a obra está a ir ao encontro das necessidades do estabelecimento de ensino.

A Torre está a ser impermeabilizada, o recreio coberto já está erguido e as caixilharias estão a ser substituídas, bem como implementadas as medidas de auto-proteção.

Estamo-nos a preparar para o ano lectivo 2017/18.

Primeira Intervenção UL ProCiv S.Victor

Na procura de uma Freguesia mais segura, a proteção civil é uma prioridade.

A articulação de entidades e meios proporcionou, esta noite, um atuação exemplar entre a PSP, os Bombeiros Sapadores de Braga, a Divisão de Espaços Verdes da CMB e a Junta de Freguesia de S. Victor, que deram a melhor resposta na verificação de um factor de risco, no âmbito de uma preocupação com uma das palmeiras existentes na antiga EB2/3 Dr. Francisco Sanches.

Agradecemos a todas as entidades a correta actuação.

Dia da Alegria

O “Dia da Alegria” iniciou-se hoje, dia 05/08, com a eucaristia em Memória de todos os Residentes, ex-Residentes e Amigos que marca(ra)m a vida desta localidade tão especial.

A eucaristia campal, foi presidida pelo Sr. Cónego Manuel Joaquim Costa e pelo Sr. Pároco, Pe. José Carlos Asevedo.

Muitos foram os amigos que participaram na missa da Alegria, antevendo um dia de muitas iniciativas.

O “Dia da Alegria” é uma organização da Associação de Moradores “O Nosso Bairro Somos Nós”, com o apoio da Junta de Freguesia S. Victor e Municipio de Braga.

7ª Companhia requalifica Espaço Verde das Goladas

A Patrulha Fogo da 7ª companhia de Braga, da Associação de Guias de Portugal, no âmbito da sua progressão guidista, realizou um projeto de serviço junto da sua comunidade, na vertente da requalificação de espaços públicos.

Desafiadas pelo presidente da Junta de freguesia de S. Victor, Ricardo Silva, e depois de discutidas as necessidades da freguesia, foi proposto à 7ª Companhia, a reabilitação do Jardim das Goladas, situado ao lado do Clube de Hóquei de Braga. A patrulha aceitou a proposta com bastante entusiasmo, visto ser um jardim abandonado, a carecer de intervenção, não só para dignificar o local, mas também para o humanizar e tornar mais seguro, tornando-o assim mais acolhedor e limpo.

A 7ª Companhia intitulou o projeto como “Green Garden”, apadrinhando assim um dos jardins da freguesia de S. Victor. Durante o correr do ano, com o objetivo principal de requalificar o espaço verde, as Guias realizaram várias atividades com a ajuda de toda a companhia e também dos pais das guias. A requalificação do espaço versou a pintura de mesas existentes no jardim, a criação de canteiros a partir de pneus pintados, constituindo um corredor florido à entrada do jardim. De forma a dar mais vida e cor ao local, a 7ª Companhia, concebeu uns “vestidos” para envolver as árvores das Goladas.

As responsáveis pela 7ª Companha assumem que o projeto ainda não está concluído, visto que ainda há aspetos a melhorar no jardim. Para o próximo ano letivo, as Guias de Portugal pretendem continuar com este projeto, realizando mais atividades que promovam uma verdadeira requalificação do espaço. Pretende-se promover uma repintura da parede do Clube de Hóquei de Braga, que atualmente está grafitada e desqualifica o jardim. A 7ª Companhia propõe-se, ainda, colocar caixotes do lixo e abrigos de pássaros, instalar mais canteiros de flores e ali radicar um banco de cortiça, feito pela Companhia, no âmbito do projeto Rolharte, outro projeto da AGP.

O Presidente da Junta de Freguesia de S. Victor, Ricardo Silva, louvou a disponibilidade e o entusiasmo com que a 7ª Companhia abraçou este desafio. O Espaço público deve ser para todos, mas, infelizmente, há quem ainda não respeite o que é de todos e para todos. É gratificante saber que há instituições suficientemente altruístas para dar o seu tempo na requalificação do espaço público, ao mesmo tempo que partilham valores de educação e de participação cívica às gerações mais novas. As Guias da 7ª Companhia, investem, portanto, na preservação de um património constituído pelo espaço público, mas incutem valores sociais no património humano. A Junta de Freguesia de S. Victor está extremamente grata à 7ª Companhia, pelo trabalho desenvolvido em prol da comunidade.

Por fim, as Guias apelam às pessoas, residentes e transeuntes, para que auxiliem no zelo deste jardim, para que possa ser frequentado por todos em boas condições.

:: OP’17 | JUNTA DE FREGUESIA S. VICTOR ::

Estamos a entrar na fase final das votações do OP’17/S. Victor. Não percam a oportunidade de votar nos projetos que possam ajudar ao desenvolvimento da Freguesia.

Pode votar presencialmente na Junta de Freguesia (todos os dias, das 9h às 18h) ou, em alternativa, poderá votar online no site Minha Freguesia. Também dá para descarregar uma aplicação móvel que permite votar, sendo provavelmente a opção mais prática:

iPhone/iPad (https://appsto.re/pt/Jk4leb.i)

Android (https://play.google.com/store/apps/details…)

Para votar tem que ser residente em São Victor, e fazer login no site/aplicação com o seu número de Cartão de Cidadão e a sua data de nascimento.

Pode verificar aqui os projetos em votação:

http://www.juntasvictor.pt/orcamento-participativo17/

Unidade Local de Proteção Civil de S. Victor

A Freguesia de S. Victor constituiu, formalmente, a Unidade Local de Proteção Civil, sendo a primeira estrutura local desta natureza no concelho de Braga.

A proposta de criação da Unidade Local foi submetida por Ricardo Silva, enquanto Presidente da Autarquia de S. Victor, que destacou a importância deste órgão de trabalho.

Entre outras razões, Ricardo Silva alegou que deve haver uma maior aposta na Proteção Civil, na sua vertente preventiva, desonerando a parte reativa, que dramaticamente atua nos teatros de operação em condições difíceis.

“Há vários fatores que podem ser melhorados e corrigidos, se houver maior informação e conhecimento da realidade – disse Ricardo Silva, aludindo ao abandono de terreno e de casas devolutas”. Não seremos, nem nos substituiremos aos primeiros agentes da Proteção Civil, mas queremos ser um reforço, que funcionará sobretudo na prevenção, participando casos que sejam potencialmente perigosos para a população. Faremos um investimento na sensibilização e na proximidade, incentivando Agrupamentos de Escuteiros e Associações de Moradores a fazer parte desta Unidade Local de Proteção Civil.”

O Presidente da Junta de S. Victor mostrava-se satisfeito com a criação desta Unidade Local, por ser a primeira a surgir no concelho de Braga, que deverá ser um exemplo para a criação de outras unidades congéneres.

Aliás, Ricardo Silva, na presença do Vice Presidente do Município bracarense, Firmino Marques, lembrou que a Freguesia tem feito uma aposta séria e objetiva para estar mais perto das pessoas, sendo das poucas freguesias que tem constituída a Comissão Social de Freguesia, que possui um agente da PSP ao abrigo do Modelo Integrado de Policiamento de Proximidade, passando agora, a dispor de um outro instrumento de trabalho, direcionado à Proteção Civil. O presidente da Junta de Freguesia de S. Victor realçou estes três vetores de atuação, como caso único na cidade de Braga, reforçando a vontade de ser uma Freguesia dinâmica e exemplar, mais perto dos cidadãos.