Apaixone-se pelas Sete Fontes 2019

A JovemCoop e a Junta de Freguesia de S. Victor realizaram, no passado domingo, dia 17, a quarta edição de “Apaixone-se pelas Sete Fontes”, evento associado ao Dia dos Namorados, que visou dar a conhecer a História, a Geografia e a Morfologia do Complexo Eco-Monumental das Sete Fontes.

Esta visita contou com uma centena de pessoas, sobressaindo o facto de quase todos os participantes visitarem, pela primeira vez, as Sete Fontes, evidenciando a necessidade destas visitas, enquanto factor de sensibilização e pedagogia activa.

As visitas foram guiadas por Margarida Pereira, da JovemCoop, por Ricardo Silva, da Junta de Freguesia de S. Victor e por Joaquim Peixoto, colaborador da AGERE, que tem por missão proteger e salvaguardar as condutas e galerias das Sete Fontes.

Ao longo de três horas, foi possível efetuar o enquadramento histórico das Sete Fontes e dar a perceber a sua técnica de engenharia, que permite a circulação das águas.

Questionada sobre a temática desta visita, Margarida Pereira afirmou que “só é possível amar aquilo que se conhece e este foi o convite perfeito para dar a conhecer as Sete Fontes aos participantes, incentivando a que se deixem “apaixonar” por este monumento que se quer preservado e à fruição do público, alcançando o tão desejado parque verde”. Para lembrar esta visita às Sete Fontes e incentivar os participantes a lutar pelo Parque Verde, a JovemCoop distribuiu a todos os visitantes um coração em origami, com a mensagem “Apaixone-se pelas Sete Fontes”.

Reiterando a mensagem da cidadania ativa e de que a força dos cidadãos faz empreender causas e permite a concretização de grandes sonhos, Ricardo Silva além do enquadramento histórico, pediu a todos os participantes que “caso tenham gostado da visita e caso vejam a possibilidade de nas Sete Fontes, enquanto local tão especial, se realizar um Parque Verde fruível por todos, então devem fazer chegar esses contributos à Câmara Municipal de Braga, de força a imprimir um sentimento coletivo, sensibilizando para uma causa de todos.

O presidente da Junta de Freguesia de S. Victor lembrou que importantes passos têm sido dados na conquista do espaço das Sete Fontes. Em primeiro lugar a classificação enquanto Monumento Nacional institui medidas de proteção que salvaguardam o monumento, contudo, é na ordem da inibição de construção e no abandono da construção da variante à E.N. 103 que reconhecemos o maior campo de conquista. Por estes passos tão solidamente dados, que estamos convencidos que as Sete Fontes serão o Parque Verde que há tanto tempo é sonhado e clamado pelos cidadãos de Braga. O Presidente da Junta de Freguesia reconheceu, ainda, a necessidade de se efetuarem mais visitas, apostando na sensibilização das pessoas, tendo em conta as ações de vandalização de que as Sete Fontes têm sido alvo. “Esta é a aposta que nunca perde validade, porque quando mais instruirmos e sensibilizarmos as novas gerações a tomar conta do património, teremos, com certeza, menos monumentos grafitados e com portas partidas”.

A JovemCoop e a Junta de Freguesia de S. Victor têm já novas visitas planeadas, avançando, desde já, a realização da iniciativa associada ao Dia Mundial da Água.

 

 

Edital Dia da Defesa Nacional

A 14ª edição do Dia da Defesa Nacional tem início no mês de janeiro.

O DDN (Dia da Defesa Nacional) visa sensibilizar os jovens para a temática da defesa nacional e divulgar o papel das Forças Armadas e decorre nos CDDN (Centros de Divulgação do Dia da Defesa Nacional), sedeados em unidades militares dos três ramos das Forças Armadas.

Durante o Dia da Defesa Nacional são desenvolvidos um conjunto de atividades destinadas a sensibilizar os jovens para a importância da Defesa Nacional e para o papel e missão das Forças Armadas Portuguesas.

O QUE É O DIA DA DEFESA NACIONAL (DDN)?

A comparência ao Dia da Defesa Nacional é um dever militar para todos os cidadãos portugueses, de ambos os sexos, que completam 18 anos de idade, conforme previsto na Lei do Serviço Militar e respetivo Regulamento. Para cumprirem com este dever os jovens devem consultar os editais de convocação (afixados nas câmaras municipais, juntas de freguesia, postos consulares e no presente artigo) e comparecer, posteriormente, no Centro ou Núcleo de Divulgação do Dia da Defesa Nacional para o qual foram convocados. Durante o Dia da Defesa Nacional são desenvolvidos um conjunto de atividades destinadas a sensibilizar os jovens para a importância da Defesa Nacional e para o papel e missão das Forças Armadas Portuguesas.

EDITAIS DE CONVOCAÇÃO

Nos Editais de Convocação constam os locais e os dias em que cada cidadão se deve apresentar para cumprimento deste dever militar, sendo assegurados os direitos à alimentação e ao transporte, em território nacional.
Aquando da sua comparência ao Dia da Defesa Nacional, o cidadão deve trazer consigo o seu documento de identificação civil (bilhete de identidade ou cartão de cidadão) e, no caso de a ter recebido, a carta enviada pelo Ministério da Defesa Nacional a relembrar o dia e o centro ou núcleo de divulgação ao qual terá de comparecer (O facto de o cidadão não ter recebido a carta recordatória não o isenta do cumprimento do seu dever militar pois deverá consultar os editais de convocação).

Consulte os Editais de Convocação (Pesquisa de convocados / situação relativa ao DDN) AQUI

Consulte os Editais por Freguesia AQUI

Todos os cidadãos até aos 35 anos de idade, devem comunicar ao Ministério da Defesa Nacional a alteração dos seus dados pessoais, nomeadamente no que respeita às habilitações literárias e morada, através do endereço de correio eletrónico colocando em assunto “ALTERAÇÃO DADOS”.

Saiba mais informações sobre o Dia da Defesa Nacional AQUI 

Também pode consultar as imagens abaixo disponibilizadas (as informações aqui colocadas foram extraídas do sítio http://bud.defesa.pt/, pelo que para qualquer  informação ou esclarecimento devem ser contactados os Serviços da Defesa Nacional).

S. Victor Promove Coesão Social

   

Enquadradas nas ações de sensibilização para a minimização das carências financeiras e sociais, a Comissão Social da Freguesia de S. Victor empreendeu a iniciativa ‘Solidariedade Mais’, enquadrada no propósito social da Junta de Freguesia de S. Victor, com intuito de reforçar a coesão social.

As iniciativas envolveram várias escolas da freguesia e instituições culturais, sociais e até desportivas num esforço de “conceder um sorriso à população mais necessitada, sobretudo num momento tão especial como é o Natal, em que nenhuma família devia passar privações”.

Alertando para a crescente dificuldade que tem sentido no terreno, com mais de 5000 desempregados inscritos no GIP, a Junta de Freguesia de S. Victor desenhou a estratégia de conceder um apoio direto a quase três centenas de famílias, as quais foram beneficiárias de Kits SOS (Cabazes com bens alimentares), de enxovais para bebés e roupas para várias idades. Cedemos, ainda, de foram totalmente gratuita,4 pares de canadianas e, por mais de uma dezena de vezes, emprestámos as cadeirinhas de rodas a cidadãos com dificuldades financeiras e que careciam deste apoio do Banco Ortopédico. De igual modo, cedemos uma cama articulada automática a uma família que tinha necessidade deste equipamento.

Por isso, os últimos dias do ano de 2018 mereceram atenção especial ao investimento em ações solidárias, que apesar de praticadas todo o ano, nesta altura ganham outra escala e proporção. Fica registado o importante contributo da comunidade nas ações, sobretudo dos mais jovens que se associaram a esta causa.

Alunos e respetivas famílias, funcionários e professores das Escolas da Freguesia de S. Victor promoveram campanhas de recolha de bens alimentares e de roupa, dando destaque ao generoso contributo da EB1 de Santa Tecla. Igualmente, os alunos da Escola Artística Calouste Gulbenkian assumiram o desafio de reunir vários géneros alimentares, constituindo um reforço ao balcão alimentar da Junta de Freguesia. Também os “Sons do Tibete” realizaram um concerto de Taças e Gongos Tibetanos, no auditório da Junta de Freguesia de S. Victor, pedindo aos participantes que doassem uma prenda/brinquedo à Comissão Social de Freguesia, de forma a serem incluídos nos cabazes de Natal.

A Associação Recreativa e Cultural da Universidade do Minho (ARCUM) promoveu uma recolha de bens alimentares, bem como de brinquedos, que foram igualmente incluídos em alguns cabazes distribuídos na época de Natal. Os produtos restantes ficarão à disposição da Comissão Social de Freguesia para distribuir ao longo do ano, sobretudo a pessoas que careçam de se preparar para entrevistas de emprego.

Pelo terceiro ano consecutivo, a Associação de Pais da EB1 de S. Victor promoveu uma campanha de recolha de vestuário e brinquedos, que reverteu a favor da Comissão Social de Freguesia, aproveitando a próxima época de Reis para redistribuir alguns presentes às famílias com menores a seu cargo.

Também, de forma exemplar, o Grupo Coral de Guadalupe, com a Missão Põe Azeite, reuniu 288 litros de azeite, tal como a Percussão da Universidade do Minho (iPUM) se reuniu e entregou várias dezenas de garrafas de óleo alimentar.

O Grupo Coral de Guadalupe reuniu, ainda, vários produtos de puericultura, desde artigos de higiene, passando por fraldas e roupas de bebés, que foram reunidos e entregues à Comissão Social da Freguesia de S. Victor, para integrarem, de forma reforçada, os enxovais “Um sorriso…um bebé”, como apoio à natalidade.

Na preocupação de reforçar o balcão alimentar da Comissão Social, também o iPUM – Percussão do Minho, entregou na Junta de Freguesia de S. Victor vários produtos alimentares que permitiram compor cabazes de Natal.

Pela primeira vez, e com resultados extremamente positivos, a empresa de formação “Do It Better” angariou, através dos seus formandos, vários bens alimentares e de higiene pessoal. Também a Profitecla de Braga organizou um Jantar Solidário, a partir de uma Prova de Aptidão Profissional, cujos produtos foram entregues à Comissão Social da Freguesia. A este rol de iniciativas, juntaram-se a AAUM e o Cabido de Cardeais da Universidade do Minho, que distribuíram 15 cabazes com produtos alimentares às Famílias sinalizadas residentes no Bairro Social das Enguardas.

A Junta de Freguesia de S. Victor encetou um apoio direto, no reforço de competências às estruturas que trabalham no terreno, às Conferências de S. Vicente de Paulo (S. Victor e Santo Adrião), bem como à Equipa Sócio Caritativa dos Congregados, entidades que têm ajudado a minimizar a problemática social na freguesia de S. Victor e têm sido fundamentais na coesão social do nosso território.

E num entendimento de que Natal é para todos, oferecemos várias dezenas de sacos de ração para cães e gatos à Associação para a Defesa dos Animais e Ambiente de Vila Verde, à CAPA (Clube de Adopção e Protecção de Animais da Póvoa de Lanhoso) e à Abandoned Pets Portugal, sedeada em Braga.

Nos dias 15 e 16 de Dezembro, procedeu-se à Campanha de Produtos de Recolha de Alimentos, numa parceria com o Braga Parque e com o Pingo Doce, tendo como resultado final uma coleta generalizada de 9 boxes de géneros alimentares, que permitiu constituir cerca de 275 cabazes que foram entregues a famílias em situação de carência. Esta Campanha contou com o apoio e empenho da Pastoral de Jovens de S. Victor, do Agrupamento CNE660/Montariol, da Profitecla, do Coro Académico da Universidade do Minho, Grupo 1/AEP e dezenas de voluntários que estiveram presentes na campanha, provando a solidariedade e empenho de todas as estruturas da Freguesia.

Terminamos o ano 2018 com sensação de termos “estado mais próximos de quem precisa”, permitindo, assim, que o Natal tenha sido mais alegre para muitas das famílias mais desfavorecidas, esperando conseguir prolongar o espírito natalício por todo o ano 2019.

:: CONCERTO DE NATAL – 22 DEZ ::

A Capela de Guadalupe acolhe no próximo Sábado, dia 22, às 21h30, o segundo concerto de Natal da Junta de Freguesia de S. Victor.

No âmbito da sua programação de Natal, e após um intenso período dedicado à ação social, a Junta de Freguesia de S. Victor deseja celebrar o Natal, abrindo portas a um concerto de Natal em espírito familiar.

A Capela de Guadalupe é o local escolhido para esta celebração musical de Natal, contando com a participação do Grupo Coral de Guadalupe e da Associação Cultural e Festiva “Os Sinos da Sé”, que irão dar destaque a um vasto reportório de músicas tradicionais de Natal, quer do cancioneiro nacional, quer de origem estrangeira.

Este concerto de Natal visa ser ponto de encontro para difundir a melhor cultura musical, mas também como iniciativa social de combate ao isolamento e de estimulo e homenagem à estrutura “Família”, tantas vezes desvalorizada nos dias de hoje.

Este concerto ganha um especial destaque devido à contribuição dada pela comunidade na entrega de garrafas de azeite e de artigos de puericultura que servirão para consubstanciar a ação da Comissão Social da Freguesia de S. Victor, seja na entrega de cabazes de Natal, seja na composição dos Enxovais “Um Bebé…Um Sorriso”.

:: RECOLHA DE PRODUTOS ALIMENTARES ::

A Comissão Social da Freguesia de S. Victor vai promover uma recolha de bens alimentares no fim-de-semana de 15 e 16 Dezembro, no Pingo Doce do BragaParque.

Os bens angariados reverterão para o Balcão Alimentar da Freguesia, o que permitirá constituir cabazes de Natal, nesta época e Kits Alimentares, ao longo do ano, a famílias sinalizaras.

Esta ação carece do apoio de todos quantos puderem ajudar a espalhar a magia do Natal, por vários lares, com um simples gesto de “dar”.

Participa connosco.

Festa de Natal das Escolas S. Victor

Estamos prontos para viver o Natal, com a nossa Família escolar, parte importante da nossa comunidade.

Realizamos a Festa de Natal, 6ª feira, dia 14/12, a partir das 10h, no Pavilhão Desportivo da EB2/3 Dr. Francisco Sanches.

O programa desta festa é da responsabilidade dos alunos das Escolas da Freguesia, mas a assistência é aberta aos Pais, Irmãos, Avós e demais Familiares e Amigos.

Não percam esta oportunidade de viver e sentir uma Festa das Escolas em jeito de Festa das Famílias.

:: FORMAÇÃO HIPERATIVIDADE (para PROFESSORES) ::

Perturbação de Hiperatividade/Défice de Atenção – sinais de alerta e estratégias de atuação

A Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção (PHDA) é uma perturbação neuro-comportamental que se carateriza por uma desadaptação no funcionamento do indivíduo, a nível pessoal, social, escolar e/ou familiar.

Esta é uma disfunção neurobiológica que se manifesta precocemente e está presente em mais do que um contexto de vida, limitando a capacidade de agir de forma autorregulada.

A PHDA comporta dificuldades no controlo da atenção/concentração, agitação motora e/ou impulsividade. Estas dimensões manifestam-se em várias intensidades e formas, podendo levar a desadaptações de diferentes graus no percurso escolar, relações interpessoais, autonomia pessoal e autoestima.

Dadas as implicações apresentadas, é fundamental debater como a comunidade educativa as caraterísticas subjacentes a este quadro, sensibilizar para a importância de um apoio assertivo e eficaz, orientar na procura de respostas, e desmistificar os mitos associados à PHDA.

Memórias de Braga – Porto Maia

O auditório da Junta de Freguesia de S. Victor acolhe, sábado, dia 13 de Outubro, às 21h, uma nova sessão das “Memórias de Braga”, iniciativa promovida pela Associação Braga+.

Esta sessão será dedicada ao Pintor Porto Maia, autor de um riquíssimo espólio artístico, de temática variada. Na abordagem à vida deste pintor bracarense são convidados Jónio Porto Maia, familiar do artista, Belo Marques, antigo discípulo de Porto Maia e o Cónego Hermenegildo Faria, responsável pela coleção de arte.

Por ter um pintor de uma enorme qualidade, mas por ainda não ter o reconhecimento merecido no meio artístico, a Junta de Freguesia de S. Victor e a Braga+ aproveitam a ocasião para inaugurar uma exposição, no Espaço Galeria da Junta, com obras deste autor.

Francisco da Silva Porto Maia, filho de Francisco Porto Maia e de Maria Soares da Silva, nasceu na freguesia de Real – Braga, a 5 de Setembro de 1923. Foi casado com Maria Augusta Abreu Costa Mendes, teve três filhas, Maria Alice, Maria Luísa e Maria Teresa. Faleceu a 11 de Setembro de 2008.

Porto Maia frequentou o curso de entalhador, modelação e desenho na Escola Industrial e Comercial Bartolomeu dos Mártires em Braga. Tendo iniciado a sua vida artística com a pintura de arte sacra na Casa Fânzeres, trabalha sob a direção de Abel Mendes e Victor Mendes na decoração de Igrejas e casas particulares.

Dedicou-se ao património artístico através das suas obras em processos de restauro e reparação, enchendo as nossas Igrejas de barroco e de rococó. Em grande parte da vida esteve ligado à arte sacra, tendo encontrado o seu caminho, um estilo próprio.

Esta iniciativa dá sequência à pretensão da Braga + em recolher testemunhos e memórias bracarenses.
No “ciclo de memórias” cada conversa é informal e tem como objetivo a troca de conhecimentos entre o público e os convidados, partilhando-se as memórias que se querem vivas sobre as vivências da nossa cidade. A sessão tem entrada livre.

Debate “Qual o Futuro para a Confiança?”

A Junta de Freguesia de S. Victor promove na próxima 6ª feira, dia 14 de Setembro, o debate “Qual o Futuro para a Confiança”, que decorrerá às 21h30 no auditório da Junta de Freguesia.
Este debate surge numa altura em que o Município de Braga assume a alienação do edifício da antiga Fábrica “Perfumaria/Saboaria Confiança”, levando à próxima reunião de Câmara os termos de referência para executar essa operação. A Junta de Freguesia de S. Victor não concorda com esta opção, tendo o entendimento que deveria ser possível encontrar soluções que permitissem a reabilitação do imóvel, para a fruição pública.

O Executivo da Freguesia não concorda com a alienação, dado tratar-se de um importante imóvel, que se torna o último reduto da era da industrialização bracarense. É edifício que transporta um simbolismo único e singular, factor de autenticidade e unicidade, algo que é valorizado nos ativos patrimoniais. É, ainda, património da memória, como uma das Fábricas que garantiu o “saber fazer”, sendo o meio de subsistência a muitos agregados familiares, bem como objeto de muitas visitas escolares quando laborava.

Uma vez que a Junta de Freguesia de S. Victor nunca acedeu a qualquer projeto/programa a instalar nas antigas instalações da Saboaria/Perfumaria Confiança, não entendemos como se afirma que não há dinheiro para investir na Confiança, simplesmente porque não sabemos qual é o montante que está em causa. Olhando para uma das Freguesias ao lado, vemos uma outra atitude municipal, num imóvel que nem sequer é propriedade da Câmara Municipal. Se a questão subjaz na falta de financiamento comunitário e tendo em conta que a Fábrica Confiança está na esfera municipal, logo não traz nenhum encargo adicional, além de obras preventivas de conservação, dever-se-ia esperar por uma nova oportunidade num futuro próximo.

A Junta de Freguesia de S. Victor não subscreve esta opção política do Executivo Municipal, que nunca abordou este assunto com a Junta de Freguesia, e num compromisso público, gostaríamos de auscultar a população de forma a podermos colocar a questão do futuro da Confiança e recolher, junto dos cidadãos, os possíveis contributos que conduzam à sua preservação. O reforço da posição dos cidadãos poderá ajudar a inverter este cenário de alienação de um importante testemunho da memória de S. Victor e de Braga.

O debate realiza-se dia 14, às 21h30, no auditório da Junta de S. Victor e  é aberto ao público.