tacastibetanas

Concerto Taças Tibetanas – sessão de relaxamento

No auditório da Junta de Freguesia de S. Victor

Rua de S. Victor, n.º 11   –   4710-439 Braga 

às 21h00 

É necessário trazer um tapete de prática/yoga ou mantinha, roupa confortável e meias (ou não), no auditório não se usa calçado.

Pode apreciar a música das Taças e dos Gongos deitado ou sentado, podendo trazer manta para se cobrir.

Ao ouvir as taças tibetanas pode-se experimentar uma sensação de bem-estar, paz e relaxamento.

Esse bem-estar não é apenas físico, mas também, emocional e mental.

O som das taças tem efeito no campo eletromagnético do corpo.

Neste sentido, fizeram-se medições dos padrões das ondas eletromagnéticas produzidas pelo cérebro, que mostram que nós temos um determinado número de estados de consciência:

  • Ondas Beta – estado normal acordado
  • Ondas Alfa – relaxamento, meditação
  • Ondas Teta – estado de sono superficial
  • Ondas Delta – estado de profundo sono

As vibrações das taças assemelham-se às ondas Alfa e, por vezes, às ondas Teta ou Delta. Desta forma, pensa-se que o cérebro possa de alguma forma reconhecer estas ondas de vibração e passar a emitir predominantemente ondas Alfa, permitindo o acalmar e serenar da mente quase imediato.

Alguns dos benefícios do som das Taças:

1)   Alivia o stress e a ansiedade;

2)   Melhora a concentração;

3)   Aumenta a criatividade;

4)   Proporciona clareza mental;

5)   Equilibra os hemisférios cerebrais;

6)   Restabelece o equilíbrio do sistema endócrino;

7)   Alivia a sinusite ou as dores de cabeça;

8)   Estimula a actividade das ondas alfa ou a meditação profunda;

9)   Aumenta a energia por meio da estimulação do líquido encefalorraquidiano;

10)  Equilibra e limpa os chacras (e dos órgãos e glândulas correspondentes);

11)   Purifica o ambiente;

12)   Facilita o acesso à intuição e à consciência subtil.

Não é necessária inscrição, apenas uma preciosa contribuição em géneros alimentares que reverterá a favor do Banco Alimentar da Junta de Freguesia.

Sons do Tibete

Henrique Azevedo