CONCURSO “OS MAIOS” 2018

Realizado pela Junta de Freguesia desde 2002, o Concurso dos Maios de S. Victor  será dividido em três categorias: residentes, escolas e estabelecimentos comerciais.

Cada participante pode concorrer com trabalhos baseados em materiais naturais ou recicláveis.

A Junta de Freguesia irá fotografar os Maios entre os dias 01 e 02 de Maio. Só serão fotografados os que tiverem submetido a inscrição e que estiverem em local visível da rua.

A Junta de Freguesia de S.Victor solicita a todos os interessados que efectuem as suas inscrições presencialmente (nos Serviços da Junta entre as 9h e as 12h30 e das 14h às 17h30) ou por email (geral@juntasvictor.pt).

O concorrente deve indicar o seu nome, o local onde estará o seu trabalho e a categoria em que vai concorrer.

“É uma iniciativa para relançar as tradições. Queremos que a cidade continue a perpetuar estas boas vindas ao mês de Maio, colocando os arranjos, quer naturais ou em material reciclável ou reutilizável, nas casas, escolas ou estabelecimentos comerciais”, diz  Ricardo Silva.

Procedimento Concursal

FREGUESIA DE BRAGA (SÃO VITOR)
AVISO

Procedimento concursal comum de caráter urgente para regularização extraordinária de vínculo precário, ocupando um posto de trabalho na modalidade de vínculo de emprego público por tempo indeterminado.

1. Nos termos do artigo 33.º da Lei Geral de Trabalho em Funções Públicas, aprovada pelo artigo 2.º da Lei n.º 35/2014, de 20 de junho, e do artigo 19.º da Portaria n.º83-A/2009, de 22 de janeiro, alterada pela Portaria n.º 145-A/2011, de 6 de abril, torna-se público que, de acordo com a deliberação do Órgão Executivo da Freguesia de Braga (São Vítor), datada de 03/01/2018, ao abrigo das disposições previstas no n.º 1 do artigo 33.º e alínea b) do n.º 2 do artigo 27.º da Lei Geral de Trabalho em Funções Públicas (LTFP), conjugadas com a alínea e) do artigo 19.º da Lei n.º 75/2013, de 12 de setembro, e artigo 10.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, se encontra aberto, pelo período de 10 dias úteis a contar da data da publicação do presente aviso na Bolsa de Emprego Público e página eletrónica da junta de Freguesia, procedimento concursal, para constituição de relação jurídica de emprego público no regime de contrato de trabalho em funções públicas por tempo indeterminado, para preenchimento de 1 posto de trabalho, no âmbito do programa de regularização extraordinária dos vínculos precários, consagrado na Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro: 1 (um) posto de trabalho na carreira e categoria de assistente operacional, para o desempenho de funções operacionais.

2.Legislação aplicável ao presente procedimento concursal: Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, Lei Geral do Trabalho em

Funções Públicas (LTFP), aprovada em anexo à Lei n.º 35/2014, de 20 de junho e alterada pelas Leis n.ºs 84/2015, de 7 de agosto, 18/2016, de 20 de junho, 42/2016, de 28 de dezembro, 25/2017, de 30 de maio, 70/2017, de 14 de agosto, e 73/2017, de 16 de agosto; Portaria n.º 83-A/2009, de 22 de janeiro, alterada e republicada pela Portaria n.º 145-A/2011, de 6 de abril

3. Prazo de validade: o presente procedimento concursal é válido para o preenchimento de um posto de trabalho a ocupar nos termos da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro.

4. Local de trabalho: Junta de Freguesia de Braga (São Vítor).

5. Função e caraterização do posto de trabalho: exercício de funções inerentes à carreira e categoria de assistente operacional, com grau de complexidade 1, de acordo com o constante no anexo à Lei n.º 35/2014, de 20 de junho, nomeadamente, proceder à limpeza das instalações da Junta, anexos e quintal e à manutenção das casas de banho, auxiliar nas tarefas da Secretaria, nomeadamente, no atendimento dos utentes, emissão de documentos, certificação de fotocópias e registo e licenças de canídeos, depositar valores nos Bancos, fazer arquivo, receção, registo e expedição de correspondência, atender o telefone e processar emails.

6. Posicionamento remuneratório: 1ª posição remuneratória da carreira de assistente operacional, nível 1 da tabela remuneratória única, que corresponde à retribuição mínima mensal garantida /RMMG), no valor de 580,00€.

7. Requisitos gerais de admissão: podem candidatar-se indivíduos que, cumulativamente, até ao termo do prazo fixado para apresentação das candidaturas, satisfaçam os requisitos gerais e específicos previstos no artigo 17.º e n.º 1 do artigo 86.º da LTFP e Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro.

8. Requisitos de vínculo: nos termos previstos no n.º 3 do artigo 2.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, “reconhecimento da prestação do exercício de funções que correspondem a necessidades permanentes e que o vínculo jurídico é inadequado, por parte do órgão executivo”.

Os documentos comprovativos destes requisitos ficam temporariamente dispensados desde que os candidatos refiram, no formulário de candidatura, a respetiva situação.

9. Nível habilitacional: escolaridade obrigatória, de acordo com a idade. Não é admitida a substituição do nível habilitacional exigido por formação ou experiência profissional.

10.Serão apenas admitidos os candidatos identificados no âmbito do n.º 3 do artigo 2.º e do n.º 1 do artigo 3.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro.

11. Formalização de candidaturas: através de preenchimento de formulário próprio, aprovado pelo Despacho n.º 11321/2009, de 08 de maio, disponibilizado em suporte de papel na Junta de Freguesia de Braga (São Vítor), conjuntamente com os documentos que as devem instruir.

12. A entrega das candidaturas poderá ser efetuada através do correio eletrónico para o email geral@juntasvictor.pt ou entregues pessoalmente durante o horário normal de funcionamento dos serviços até ao termo do prazo fixado para apresentação das candidaturas.

13. Documentos que devem acompanhar as candidaturas:

14. Documento comprovativo das habilitações literárias;

15. Currículo profissional detalhado, devidamente datado e assinado, do qual conste a identificação pessoal, habilitações literárias, experiência profissional e quaisquer circunstâncias que possam influir na apreciação do seu mérito ou constituir motivo de preferência legal, as quais, todavia, só serão tidas em consideração pelo júri do processamento concursal se devidamente comprovadas, nomeadamente, fotocópia dos documentos comprovativos da frequência das ações de formação e da experiência profissional.

. A falta de apresentação dos documentos legalmente exigidos implica a exclusão dos candidatos, nos termos do n.º 9 do artigo 28.º do anexo da Portaria n.º 83-A/2009, de 22 de janeiro, alterada e republicada pela Portaria n.º 145-A/2011, de 6 de abril. As falsas declarações prestadas pelos candidatos serão punidas por lei. Assiste ao júri a faculdade de exigir a qualquer candidato, em caso de dúvida sobre a situação que descreve no seu currículo, a apresentação de elementos comprovativos das suas declarações.

16. Nos termos do n.º 6 do artigo 10.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, o método de seleção aplicável é a avaliação curricular, e havendo mais de um opositor no recrutamento para o mesmo posto de trabalho, é ainda aplicável a entrevista profissional de seleção.

17. Descrição dos métodos de avaliação:

18. Avaliação curricular: visa analisar a qualificação dos candidatos, designadamente a habilitação académica ou profissional, percurso profissional, relevância da experiência adquirida e da formação realizada, tipo de funções exercidas, sendo fator de ponderação o tempo de exercício de funções caraterizadoras do posto de trabalho.

19. Entrevista profissional de seleção: visa avaliar, de forma objetiva e sistemática, a experiência profissional e aspetos comportamentais evidenciados durante a interação estabelecida entre o entrevistador e entrevistado, nomeadamente os relacionados com a capacidade de comunicação e de relacionamento interpessoal.

20. Valoração e classificação final: nos termos do artigo 34.º da Portaria n.º 83-A/2009, de 22 de janeiro, alterada e republicada pela Portaria n.º 145-A/2011, de 6 de abril, a ordenação final será obtida numa escala de 0 a 20 valores.

21. O júri do presente procedimento concursal será o seguinte:

Presidente: Dra. Elsa Helena Lopes Maciel, consultora

Substituto do Presidente: Maria Rita da Silva Gomes, assistente técnica

1.º Vogal efetivo: Maria Rita da Silva Gomes, assistente técnica

2.º Vogal efetivo: Carlos Roberto da Silva Freitas, assistente técnico

1.º Vogal suplente: Mara Alexandra Rodrigues Braga, assistente operacional

2.º Vogal suplente: Emanuelle Rosa de Sousa Castro.

As atas do júri, onde constam os parâmetros de avaliação dos métodos de seleção, a grelha classificativa e o sistema de valoração final, são facultadas aos candidatos sempre que solicitadas, por escrito.

22. Em cumprimento da alínea h) do artigo 9.º da Constituição da República Portuguesa, a Administração Pública, enquanto entidade empregadora, promove ativamente uma política de igualdade de oportunidades entre homens e mulheres no acesso ao emprego e na progressão profissional, providenciando escrupulosamente no sentido de evitar toda e qualquer forma de discriminação.

23. Em caso de igualdade de valoração na ordenação final dos candidatos, os critérios de preferência a adotar serão os previstos no artigo 35.º do anexo da Portaria n.º 83-A/2009, de 22 de janeiro, alterada e republicada pela Portaria n.º 145-A/2011, de 6 de abril.

24. Há lugar a audiência dos interessados após a aplicação de todos os métodos de seleção previstos no ponto 14 e antes de ser proferida a decisão final, de acordo com o n.º 7 do artigo 10.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro.

25. As listas unitárias de ordenação final, após homologação, serão afixadas em local visível e público das instalações da Junta de Freguesia, sendo ainda publicado um aviso na 2.ª série do Diário da República com informação sobre a sua publicitação.

26. Nos termos do n.º 4 do artigo 10.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, o presente aviso será publicado na Bolsa de Emprego Público (www.bep.gov.pt) e na página eletrónica da Junta de Freguesia de Braga (São Victor) (www.juntasvictor.pt).

15 de fevereiro de 2018 – O Presidente da Junta de Freguesia de Braga (São Vítor), Ricardo Jorge Pereira da Silva

Lista Unitária de Ordenação Final

formulário candidatura procedimento concursal

Lista Candidatos Admitidos

Ata nº1 – Parâmetos de Avaliação

Ata nº2 – Avaliação Curricular

Lista de ordenação final

Ata nº3

Formulário do direito de participação dos interessados

Concurso Fotográfico: S. Victor por uma Lente

O Concurso “S. Victor por uma Lente” pretende dar a conhecer o Património e os Monumentos da Freguesia de S. Victor.

A nossa ideia é constituir um banco de imagens sobre a Freguesia, realizando uma exposição fotográfica que permita dar a conhecer os nossos Monumentos e o nosso Património.

Para participar, os candidatos devem ler o regulamento* e até dia 02 de Março podem captar as fotografias. De seguida, devem preencher a ficha de inscrição, seleccionar as 3 fotos a submeter ao concurso e envia-las, juntamente com a ficha de inscrição, para o nosso mail, até dia 04/03.

Este concurso é aberto a todos e o que conta é participar e evidenciar as particularidades da Freguesia de S. Victor.

  • N.B. – o regulamento foi instituído numa fase em que as datas eram de 12 a 16 de Fevereiro com entrega até 18. Contudo, sensíveis a algumas questões que foram colocadas, e tendo em conta as condições atmosféricas que se fizeram sentir nessa semana, o júri, reunido a 16/02, decidiu alargar o prazo para captar fotografias até dia 02 de março e o envio até dia 04, sem prejuízo das datas de anúncio dos vencedores. Por isso, ao ler o regulamento, deve entender as novas datas e não as que lá estão plasmadas. Agradecemos a compreensão.

REGULAMENTO S. VICTOR POR UMA LENTE

FICHA DE INSCRIÇÃO CONCURSO

Cantar as Janeiras em S. Victor

Diz o ditado popular que as janeiras cantam-se até ao final do mês de janeiro.

No próximo domingo, dia 21 de Janeiro, às 16h no auditório da Escola Dr. Francisco Sanches (entrada pela Rua do Taxa), a Junta de Freguesia de S. Victor realiza “Cantar as Janeiras”, reunindo, nesta quarta edição, alguns grupos da freguesia que ao longo do mês têm mantido esta tradição.

Com esta iniciativa pretende-se enlevar as tradições, dando apoio aos grupos para que continuem este trabalho em defesa da cultura popular. Por outro lado, uma vez que a freguesia de S. Victor é tão rica do ponto de vista associativo, é intenção da Junta de Freguesia valorizar os Grupos Culturais e todo o movimento associativo, num evento que funciona como “mostra” daquilo que os grupos tão bem sabem fazer.

Nesta quarta edição de “Cantar as Janeiras em S.Victor”, estarão em palco  o Grupo de Cavaquinhos e Cantares “Ecos da Minha Terra”, Orfeão de Braga, o Agrupamento CNE 660 – Montariol, o Grupo Coral de Guadalupe, o CDCR de Braga, o Grupo Coral do Centro Social e Paroquial da Armada e a Associação Cultural e Festiva “Os Sinos da Sé”.

O evento decorrerá dia 21 de Janeiro, às 16h no auditório da Escola Dr. Francisco Sanches (entrada pela Rua do Taxa) e a entrada é livre.

Assembleia de Freguesia aprova Grandes Opções do Plano e Orçamento

O Documento foi votado em sessão ordinária da Assembleia de Freguesia, que decorreu a 27/12 e foi aprovado com 11 votos favoráveis (da Coligação JpB) e 8 abstenções (PS+CDU+BE).

O plano apresentado e aprovado vem na sequência do compromisso firmado com a população em Outubro do corrente ano, reforçando as nossas linhas de atuação, mantendo as atividades estruturantes, mas sem esquecer a vontade de ter mais capacidade de intervenção no território. Uma das lutas do atual Executivo da Freguesia tem sido a reivindicação justa de mais competências atribuídas pela CMB, para que a Junta de Freguesia possa ter a atuação determinante na respetiva área administrativa, efetuando as manutenções que a Freguesia carece e exige, seja ao nível dos equipamentos e mobiliário urbano, seja do ponto de vista dos espaços verdes ou mesmo da limpeza e higiene dos espaços públicos.

Apesar do esforço de querermos ser uma Junta de Freguesia mais moderna e empreendedora, que se torne cada vez mais próxima do cidadão, é certo que não nos queremos focar somente no plano administrativo, onde diariamente passamos uma media de uma centena de atestados.

A nossa capacidade de intervenção no território e junto da população pode ser maior, pois temos essa vontade e somos a maior autarquia do Minho, do ponto de vista populacional em freguesias, pelo que temos consciência das responsabilidades que nos são esperadas e aquelas com as quais nos podemos comprometer.

O Plano de Atividades e Orçamento para 2018 reflete, por um lado, a nossa limitação orçamental, com os compromissos salariais; por outro lado, revela alguma criatividade na forma como desenhamos as iniciativas e as colocamos ao serviço da População. Este Plano é baseado numa postura que vem de anteriores executivos, tendo ganho prémios de autarquia modelos em 2008 e 2009. Contudo, como teria forçosamente de acontecer, introduz iniciativas com cariz inovador, tal como o Executivo Júnior, atividade que colocou a Freguesia no Top9 das Freguesias mais inovadoras de Portugal, pela revista Sábado, tendo merecido menção na Revistas das Cidades Educadoras. Por outro lado, além da continua aposta nas Escolas e na Educação, vemos no Património Cultural e no consequente turismo uma aposta a galvanizar, incrementando as ações do Programa “S. Victor de Portas Abertas”. Aqui, prevêem-se novos materiais promocionais, com nova imagem gráfica, adaptados à Lingua Gestual e ao Braille. Está, também, em fase de gravação a nova temporada da webserie “S. Victor de Portas Abertas”, cuja temática revelará personalidades e estabelecimentos tradicionais da Freguesia de S. Victor.

Na área de ação social, além de continuarmos a trabalhar dentro da lógica da Comissão Social de Freguesia (uma das poucas que está em funcionamento no Concelho de Braga), manteremos o espirito colaborador com as instituições que trabalham no terreno, incrementando a sua atuação com as iniciativas do Programa “Solidariedade+”.

Assembleia de Freguesia de S. Victor aprova moção do Bloco de Esquerda em defesa da Fábrica Confiança

A Assembleia de Freguesia de S. Victor votou unanimemente a moção do Bloco de Esquerda  em defesa da Fábrica Confiança como Património Municipal para fins culturais.

No documento apresentado pela representante do Bloco de Esquerda, Catarina Afonso, pode ler-se que “a Perfumaria e Saboaria Confiança, fundada em 1894, marcou de forma incontornável a vida de milhares de famílias ao longo dos anos de funcionamento”.

“Tendo em conta que o edifício foi adquirido em 2013 pela Câmara Municipal de Braga, encontrando-se ao abandono e não havendo um plano concreto para a sua dinamização como espaço público de fins culturais, a Assembleia de Freguesia decidiu mandatar o presidente da Junta de S. Victor para interceder junto da Câmara Municipal de Braga no sentido de defender a manutenção do edifício da Fábrica Confiança como património municipal com utilização para a qual foi adquirido”, conclui o texto aprovado.

Concerto “Tricotar o Natal”

A Capela de Guadalupe acolhe, na próxima Sexta-feira, dia 22, às 21h30, o concerto de Natal da Junta de Freguesia de S. Victor.

No âmbito da sua programação de Natal, e após um intenso período dedicado à ação social, a Junta de Freguesia de S. Victor deseja celebrar o Natal, abrindo portas a um concerto de Natal em espírito familiar.

A Capela de Guadalupe é o local escolhido para esta celebração musical de Natal, contando com a participação do Grupo Coral de Guadalupe e do Grupo Coral Porta Nova, que irão dar destaque a um vasto reportório de músicas tradicionais de Natal, quer do cancioneiro nacional, quer de origem estrangeira.

No final, todos os grupos irão desejar Feliz Natal ao som da música coletiva “É Natal, Há uma Estrela a Brilhar”.

Este concerto ganha um especial destaque devido à contribuição dada pela comunidade na elaboração de cachecóis de várias cores, que servirão para consubstanciar a ação da Comissão Social da Freguesia de S. Victor.

A entrada é livre.

Quiosque Solidário

A Profitecla e a Junta de Freguesia de S. Victor iniciam um novo projeto social, dinamizado a partir do Quiosque da Senhora-a-Branca.

A estrutura do quiosque irá abrir, ao longo dos dias 19 a 22 de Dezembro, para acolher doações e ofertas que as pessoas queiram conceder à Comissão Social de Freguesia de S. Victor.

O quiosque será dinamizado pelos alunos da Profitecla que estarão das 9h30 às 12h30 e das 14h às 17h30, para receber bens alimentares, vestuário, calçado, brinquedos e outros artigos que as pessoas queiram doar.

A ideia é ter um ponto central onde as pessoas saibam onde se dirigir, de forma a contribuírem para espalhar a mensagem de Natal a todas as Famílias.  O objetivo é permitir que a Comissão Social de Freguesia possa angariar bens que sejam incluídos nos cabazes que serão distribuídos às famílias sinalizadas por esta estrutura.

As maiores prioridades da Comissão Social passam por garrafas de óleo, açúcar, sal, farinha e aletria, bem como mantas e artigos de bebés.

A abertura oficial do quiosque será efetuada dia 22/12, às 10h, no Largo da Senhora-a-Branca e o quiosque funcionará até dia 22/12.

Campanha Solidária – Recolha de Bens

A Associação de Pais da EB de S. Victor está a realizar uma recolha solidária de bens de primeira necessidade, que serão doados à Comissão Social da Freguesia de S. Victor.

Esta aposta vem na sequência do trabalho já realizado no ano anterior, visando a angariação de brinquedos, mas também solicitando o contributo de roupas e bens alimentares, para distribuir pelas famílias mais carenciadas.

Deste modo, as meninas e meninos compreenderão que o espírito de Natal é solidariedade, partilha, amor e preocupação pelos que estão próximos.

Assim sendo, a APESVI e a Escola S. Victor, em articulação com a Junta de Freguesia de S. Victor, procedem à organização da referida campanha no período de 4 a 11 de Dezembro, nas instalações da escola, onde todas as contribuições são bem-vindas.

Olga Pereira, presidente da Assembleia de Freguesia de S. Victor, no cumprimento da deliberação unânime adotada na última Assembleia de Freguesia realizada em 29 de junho de 2017 e que determinou a elaboração de um documento que retratasse as diligências já desenvolvidas pela Junta de Freguesia sobre o prédio devoluto sito na Travessa Dr. Francisco Machado Owen da mesma freguesia e a sua publicitação no sítio da freguesia e nos meios de comunicação social, informa que, tendo procedido a um levantamento exaustivo sobre as mesmas, foi possível apurar que:

  1. A Junta de Freguesia de S. Victor solicitou um primeiro pedido de informação à CMB sobre o edifício da Travessa Dr. Machado Owen em 2014, tendo a Câmara Municipal esclarecido, em 14 de maio do mesmo ano, que o proprietário possuía 15 dias para repor a vedação e 30 dias para requerer licença especial para a conclusão das obras do prédio em causa.
  2. Decorridos quase dois anos, a 2 de fevereiro de 2016, a Junta de Freguesia interpelou novamente a Câmara Municipal pedindo o estado atual do processo.
  3. Em 22 de novembro de 2016, a junta de freguesia dirige-se novamente à Câmara Municipal solicitando diligências junto do proprietário do edifício para que este proceda ao rápido entaipamento das portas e das janelas impedindo, desta forma, o acesso ao interior do edifício.
  4. O proprietário foi notificado e deu cumprimento ao que lhe foi solicitado, repondo a vedação.
  5. No dia 3 de fevereiro e no dia 3 de maio de 2017, a Junta de Freguesia realizou dois novos ofícios à Câmara Municipal sobre esta matéria, reiterando a sua posição de que deve ser construída uma vedação mais sólida e encerradas as aberturas do edifício com tijolos, atento o facto de o mau tempo e atos de vandalismo terem permitido a cedência e entrada de pessoas no local.
  6. No dia 6 de junho de 2017, a Junta de freguesia solicitou à autarquia uma vez mais, a notificação do proprietário privado para entaipar as entradas e quaisquer orifícios que permitam a entrada no mesmo.
  7. A Câmara Municipal procedeu à notificação da mesma, em 29 de junho de 2017, para repor a situação.
  8. A 10 de agosto de 2017, a Câmara Municipal de Braga procedeu a nova notificação do proprietário, concedendo-lhe o prazo de 15 dias para repor as vedações, sob pena de se substituir ao mesmo nessa tarefa e proceder posteriormente à competente imputação de custos.
  9. Neste momento, aguardamos a ação relativa à última notificação.

Iguais procedimentos têm sido adotados em casos similares, como, por exemplo, o terreno da Fábrica Sarotos, que em tempos acumulava lixo e vegetação, mas que passou a ter uma entidade que utiliza o espaço para prática de desportos como airsoft. Esta utilização contribuiu para uma manutenção do espaço e promovendo segurança naquele local, não havendo registos, à data, de novas ocorrências com vegetação.

Quanto aos Bairros Sociais, quer das Enguardas, quer de Santa Tecla, são constantes as solicitações à AGERE para que haja uma profícua atuação naquelas ruas. Sempre que necessário, além da varredura, a AGERE desloca-se aos Bairros para levantamento de “monstros”, de forma a desobstruir alguns espaços nas zonas comuns. A tarefa verifica-se difícil porque há um desmesurado acumular de vários materiais e detritos, nas horas seguintes ao levantamento dos “monstros”, o que contribui para um avolumar de lixos em plena rua.

A Junta de Freguesia de S. Victor lembra que devem ser respeitados os horários de colocação de lixo nas ruas e que a AGERE detém um serviço gratuito de recolha de monstros, que funciona de 2ª a 5ª, bastando ligar para esta empresa municipal para marcar a recolha.

Assim, pensamos que estas informações podem ser úteis para esclarecer as atuações da Junta de Freguesia de S. Victor relativamente aos casos abordados, dando cumprimento a uma recomendação da CEM, aprovada na última Assembleia de Freguesia.

Descarregue aqui o ficheiro pdf: Comunicado AF_set2017

Exposição “Sete Fontes”

O Complexo monumental das Sete Fontes é o tema da exposição fotográfica de Flávio Freitas, que pode ser vista entre os dias 5 de Setembro e 12 de Outubro, na Junta de Freguesia de S. Victor.

Flávio Freitas foi desafiado a contribuir com o seu olhar sagaz a aliar a arte da fotografia à responsabilidade de inventariar o Complexo das Sete Fontes. Assim, brasões, canalizações, bacias de decantação, entre outros importantes equipamentos e ornamentos, ficam perpetuados para todo o sempre , num registo educativo e convidativo para quem não conhece as Sete Fontes.

A não perder, no Espaço Galeria da Junta de Freguesia de S. Victor.